Meio
7 de julho de 2017
IELB se mobiliza para ajudar em transplante
11 de julho de 2017
Para: Terça-feira, 11 de julho de 2017

Texto: Efésios 1.1-7

“Como é maravilhosa a graça de Deus.” (Ef 1.7)

Um sábio professor ensinava que, às vezes, para entendermos algo, primeiro deveríamos saber o que este algo não é!        Assim, quando falamos sobre a maravilhosa graça de Deus, revelada em seu Filho Jesus Cristo, é necessário compreendermos o que não é graça divina.

Viver sob o peso da lei em nossas vidas, lembrar das nossas culpas e pecados, desde a mocidade até o dia presente, isso não é graça. Acreditar que Deus sempre está zangado conosco por não conseguirmos seguir a sua santa vontade, também não é graça. E ainda, achar que nós não somos pessoas tão ruins e que podemos barganhar com aquilo que realizamos de bom para os outros para que Deus nos recompense, esquecendo as nossas maldades, efetivamente, não é graça.

O apóstolo Paulo ao escrever para a igreja da cidade de Éfeso declara: “Como é maravilhosa a graça de Deus, que ele nos deu com tanta fartura!” (Ef 1.7-8). Ele próprio teve entendimentos equivocados sobre o sentido da graça de Deus em sua vida. Entretanto, depois de convertido, entendeu a verdadeira dimensão da graça. Em sua carta, mais adiante no capítulo 2, versículos 8 e 9, ele revela: “Pois pela graça de Deus vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem de vocês, mas é um presente dado por Deus. A salvação não é o resultado dos esforços de vocês”.

Através da fé em Jesus Cristo podemos ter plena certeza de que Deus nos aceita, nos purificando de todos os nossos pecados, do presente, passado e futuro. Não porque mereçamos nem por causa de nossas ações, mas por conta do seu amoroso presente que dele recebemos: o Senhor e Salvador Jesus! Que presente! Que maravilhosa graça de Deus!

Oremos: Preciosa é a graça de Jesus, que um dia me salvou. Perdido andei, sem ver a luz, mas Cristo me encontrou. Obrigado, meu Deus, por essa maravilhosa e farta graça que me dás! Amém.