Vencendo a tristeza
29 de junho de 2017
Não me gabarei
4 de julho de 2017
Para: Sexta-feira, 30 de junho de 2017

Texto: Lamentações 3.28-33

“Não é com prazer que ele nos causa sofrimento ou dor.” (Lm 3.33)

Pensar no sofrimento exige paciência e equilíbrio. Pensar na razão pela qual pessoalmente estou sofrendo, exige ainda maior lucidez e humildade.

O profeta Jeremias anunciou continuamente que, se não houvesse arrependimento, o sofrimento viria em grande escala para o povo de Deus. O sofrimento veio por meio do exército de Nabucodonosor. Por isso, o olhar de Jeremias sobre o sofrimento é amplo e superior. Ele sabe da culpa do povo. Mas também sabe que Deus permitiu aquela aflição. Jeremias observa e sabe que Deus está disciplinando o povo. Por isso, ele pede que as pessoas se curvem em humildade.

Lemos em Lamentações, capítulo 3, versículo 33, que “não é com prazer que Deus nos causa sofrimento ou dor”. Essa palavra fortalece a certeza de um propósito no sofrer. É sábio deixar de ficar perguntando o motivo do sofrimento e passar a refletir no propósito. Mas, ainda mais sábio é manter a esperança mesmo quando não sabemos as respostas. Fé é confiar, mesmo sem compreender. Fé é confiar no amor de Deus.

Se o sofrimento é grande, o “amor de Deus é imenso” (Lm 3.32). Não há nada que possa nos separar desse amor, nenhum tipo de aflição ou dificuldade.

É conveniente lutar contra o sofrimento. Por vezes devemos aprender a suportá-lo. Mas sempre devemos aprender com ele, reconhecendo a soberania divina!

Jesus sentiu o sofrimento humano. No Getsêmani, ele clamou a Deus que o livrasse, mas também decretou: “Que não seja feito o que eu quero, mas o que tu queres” (Mt 26.39).

É encorajador saber que a vontade de Deus é a nossa salvação e que seu amor é maior do que todo e qualquer sofrimento!

Oremos: Misericordioso Deus, reconheço que mereço sofrer por causa de meus pecados. Mas suplico que tenhas piedade. Dá-me força para suportar o sofrimento e sabedoria para crescer na fé. Em nome de Jesus. Amém.