Retiro dos Jovens da UJSP
10 de março de 2020
Plena Imunidade
25 de março de 2020

Com muita alegria escrevo para o site da congregação para contar um pouco da nossa experiência nas terras geladas do Canadá – em especial, sobre nossa nova comunidade. É maravilhoso poder estar com vocês por este meio digital, pois tenho muito carinho pela São Paulo. Foi onde cresci, construí minha família e hoje ela guarda os maiores tesouros que deixamos no Brasil, nossa família e amigos.

Chegamos à Montréal em agosto de 2018, ainda era verão e as temperaturas amigáveis nos deixaram confortáveis na chegada. A mão poderosa de Deus nos guiou e encontramos muito suporte para recomeçar a vida. Tivemos a benção de sermos recebidos pelo pastor Marco Antonio Jacobsen, sua esposa Lilian e sua linda filha Nicole. Eles foram incansáveis conosco, nos carregando, quase que literalmente, pela mão, além de nos mostrar tudo da nova vida e auxiliar no mar de desafios que nos desposemos a enfrentar. Agradecemos muito a Deus por ter eles em nossa vida.

Nestes últimos 19 meses, muitas coisas aconteceram: aprendizado, conhecimento e inserção em uma cultura diferente. Em especial, nossa chegada na igreja também tinha barreiras a serem vencidas. Louvar a Deus, estudar e ouvir sobre a Sua palavra em outro idioma, faz com que a gente precise prestar mais atenção. Um dia uma amiga, que também passou por esta experiência, me mostrou que era uma período especial ter de compreender a mensagem em uma língua diferente, pois às vezes caímos no piloto automático.

Esta é a experiência de um adulto, mas e as crianças que chegam aqui sem falar nada, como o Matheus? O tempo delas é diferente do nosso, ainda que a gente saiba que eles aprendem rápido e com mais facilidade que nós. Os meses para eles podem parecer anos e eles sentem muito por não poder se comunicar na igreja também.

Mesmo com toda a dificuldade dos primeiros meses, nosso pequeno corajoso, pedia sempre para ir ao culto. No começo foi difícil explicar que não poderíamos mais correr e brincar como fazíamos no final do culto na São Paulo e sempre que pode ele brinca de pega-pega no salão da igreja. Todo o domingo ele perguntava se íamos na igreja, mesmo quando lá fora estava fazendo -20ºC e tinha montanhas de neve.

Temos muitas famílias brasileiras vindo para o Canadá, nos últimos meses chegou uma muito especial, que veio da congregação Concórdia de Porto Alegre: Ana, Altair, Iasmin e a Helena. E para recebê-las, o pastor da congregação propôs que fizéssemos uma escolinha dominical em português.

Eu sempre fui chamada para este trabalho, mas nunca me senti capacitada. Desde meus 13 anos, tentei por várias vezes começar como auxiliar de professora, mas nunca assumi a responsabilidade como professora. Pois eu pensava que era uma responsabilidade gigante ensinar o Caminho e a Palavra de Deus para uma criança, onde qualquer erro meu pode comprometer todo o futuro dela. Mas a professora daqui me disse algo que mudou meu olhar: “Nossa missão é falar de Jesus e o Espírito Santo fará o seu trabalho no coração dos pequeninos.” Isto me deu coragem e fé para aceitar o desafio.

E no dia 23 de fevereiro de 2020, tivemos nossa primeira escola de domingo em português na Église Évangélique Luthérienne de l’Ascension. Foi um momento especial para a Nicole, Matheus, Iasmin e Helena. Cantamos músicas dos 3 Palavrinhas entre outras que eles conheciam de coração, e também falamos sobre a transfiguração de Jesus. Tudo do jeitinho que fazíamos no Brasil.

Gostaria de deixar meu carinho especial para todas as professoras e professores de escola bíblica. Que Deus sempre nos capacite a fazer este trabalho que é vital para a Sua igreja. Quando vi os frutos de tudo que vocês plantaram no coração destas crianças, pude me sentir segura para continuar ensinando a Verdade a eles. Senti que também tive a melhor escola, onde ganhei todo o conhecimento que preciso para seguir em frente na seara.

Nosso abraço pra todos desta igreja que amamos muito,

Jacqueline, Alexandre e Matheus